Como a imaginação não tem limites neste blog podem ver desde receitas, artesanato a uma panóplia de coisas

10
Mai 16

ceviche de perca do nilo.jpg

 No outro dia visitámos o restaurante peruano "Qosqo" na rua dos Bacalhoeiros (Lisboa) e foi uma agradável surpresa. O prato que mais apelou aos meus sentidos, e aos da minha filha, foi o ceviche de peixe branco (garoupa), que acompanhava com milho e batata doce. O contraste entre o sabor adocicado da cebola roxa com o tempero ácido do sumo de limão e o peixe cru é absolutamente divinal. 

Tinha que repetir em casa já que é um prato saboroso, aprovado pela minha exigente critica gastronómica cá de casa, e muito saudável!!

Ingredientes

  • 300 g de perca do nilo cortada em cubos
  • 100 g de manga cortada em cubos pequenos
  • 100 g de maçã verde cortada em cubos pequenos
  • 50 g de cebola roxa cortada em cubos pequenos
  • 10 g de gengibre fresco picado
  • 10 colheres de sopa de sumo de limão
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • Sal, q.b
  • coentros

 

Instruções

Marine o peixe com o limão, a cebola e sal a gosto no mínimo meia hora. Acrescente a manga, a maçã verde, o gengibre, o azeite e os coentros. Misture bem. Leve ao frigorifico e depois de meia hora sirva.

 

publicado por Susana às 16:44

esparguete com molho de beterraba.jpg

A beterraba é um daqueles alimentos que adoro: ela fortalece o sistema imune, por ser rica em zinco; ajudar a prevenir e combater anemia, por conter ferro e vitaminas do complexo B;mantém a saúde dos músculos, por conter potássio e cálcio; protege o nosso sistema nervoso, por ser rica em vitamina B1 e B2, etc.

A sua cor forte permite criar poesia visual nas nossas cozinhas!!

Há pouco tempo uma amiga italiana, a viver em Lisboa, levou-me a um restaurante italiano na Madragoa (não me lembro do nome!!! ai esta memória!!) . Experimentámos vários pratos mas aquele que me inspirou verdadeiramente foi a massa com beterraba. Sempre que gosto de um prato tento reproduzi-lo em casa. Para deleite de vários membros da família segui esta receita: http://lifestyle.sapo.pt/sabores/receitas/esparguete-com-molho-de-beterraba-assada

A receita é maravilhosa mas dá um bocado de trabalho...resolvi inventar algo mais prático e que se coadunasse com a falta de tempo...e que levasse lentilhas em vez do feijão.

Ingredientes:

Meia cebola cortada aos pedaços

2 dentes de alho em pedaços

2 chávenas de lentilhas cruas

2 beterrabas

1 porção de esparguete suficiente para 4 pessoas (atenção: vocês podem estragar a receita se não usarem um bom esparguete. Usei a massa bio com milho painço da La BIO IDEA)

1 pitada de garam massala

sal q.b.

algumas folhas de manjericão fresco

1 panela de pressão (cozinho muitas vezes nesta panela pois é saudável e ainda se pouca no gás)

Instruções:

Refoguem a cebola e o alho num pouco de azeite, numa panela de pressão. Quando a cebola estiver translúcida juntem as lentilhas. Mexam bem e juntem as especiarias, as beterrabas descascadas, o sal e as folhas de manjericão. Acrescentem alguma água, fechem a tampa e deixem cozer durante 15 minutos. Entretanto cozam o esparguete "al dente". Quando a beterraba e as lentilhas estiverem cozidas triturem até fazer um creme bem suave. Acrescentem sobre o esparguete cozido.

Boas criações!!

 

 

 

 

publicado por Susana às 12:10

tea tree.jpgO óleo essencial de “tea tree” é extraído da planta australiana Melaleuca alternifólia e tem sido assinalado como um poderoso anti-séptico e anti-inflamatório. Apesar de não haver actualmente estudos científicos suficientes para comprovar o seu poder anti-séptico há áreas em que a experiência laboratorial testemunha a sua eficácia.

O “tea tree” e o tratamento de infecções orais. Uma avaliação do efeito de um colutório constituído pelo óleo de tea tree (TTO) a 0,2%, e dois outros agentes activos, sobre a flora bucal de 40 voluntários sugeriu que quem utiliza o TTO uma vez por dia durante 7 dias pode reduzir o número de estreptococos mutans e o número total de bactérias orais. Os dados também indicam que estas reduções foram mantidas durante 2 semanas após o termino do uso dos bochechos.

O “tea tree” e o tratamento da caspa. A avaliação de um shampoo constituído por TTO a 5% demonstrou melhorias estatisticamente significativas no índice de lesões no couro cabeludo, bem como na comichão e oleosidade. No geral, o TTO a 5% foi bem tolerado e parece ser eficaz no tratamento da caspa ligeira a moderada.

Precauções a ter quando se utiliza o TTO:

Tóxico: este pode ser tóxico quando ingerido.

Irritações na pele:  pode causar reacções alérgicas. Num estudo feito com 311 voluntários em que foi aplicado o TTO puro houve um índice de 0,25 de irritações. Deve-se evitar a aplicação cutânea do TTO puro. Outros estudos demonstraram que as alergias ocorreram pelo armazenamento indevido do óleo.  

Utilização correcta do óleo:

Os óleos essenciais evaporam-se com facilidade e deterioram-se quando expostos à luz. Quanto mais vezes uma pessoa abrir um frasco de óleo essencial maior será a probablidade de ele se oxidar e, portanto, da diminuição das suas propriedades terapeuticas. Deve sempre ser conservado num local fresco e escuro ou no frigorífico e assim durará pelo menos um ano.

Quando a essência é diluida num óleo vegetal, ela só se conserva durante dois meses, ou talvez três se ao óleo vegetal de base se juntar 5% de óleo de germen de trigo.

Os óleos essenciais devem ser diluídos à razão de 0,5 (exemplo: 2 gotas para 10 ml de óleo) a 3% quando são aplicados em adultos ou 0,5 a 2% quando são crianças.

 A minha própria experiência:

O TTO tornou-se o nosso SOS, há mais de oitos anos. Acompanha-nos sempre que viajamos e o seu uso já se estendeu a vários membros da nossa família, depois de terem comprovado a sua eficácia. Apesar das advertências feitas ao uso do TTO puro eu tenho por hábito não o diluir quanto tenho borbulhas provenientes das minhas alergias (para imediatamente a comichão) ou quando alguém é picado por melgas ou tenho aftas (coloco duas gotas na escova de dente). Nunca nenhum dos meus amigos ou família reagiu cutaneamente ao TTO.

Tabela terapeutica:

- picadas de insectos (abelhas, vespas, melgas) - puro

- ferimentos, cortes - puro ou deitar 10 gotas em 50 ml de água que deve ser borrifada numa gaze

- gengivite - bochechos

- aftas - bochechos

- caspa - massagens

- piolhos - óleo capilar

- constipações, gripe, tosse - banhos e inalações

- acne - óleos para o rosto ou tónicos

- pé de atleta - puro, banhos

- sarna - banhos

- tinha - ungento

Ver uma resenhas das ultimas investigações in C. F. Carson, K.A. Hammer e T.V. Riley, "Melaleuca alternifolia (Tea Tree) Oil: a Review of Antimicrobial and Other Medicinal Properties", · Clin. Microbiol. Rev. January 2006 vol. 19 no. 1 50-62, http://cmr.asm.org/content/19/1/50.full?referer=www.clickfind.com.au

publicado por Susana às 11:16

Maio 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
13
14

15
16
18

23
26
27
28

30
31


subscrever feeds
facebook
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

19 seguidores

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO