Como a imaginação não tem limites neste blog podem ver desde receitas, artesanato a uma panóplia de coisas

15
Jul 13

Na longínqua década de 70 e inícios de 80 a moda não se limitava às calças boca de sino ou às camisas floridas também se estendia à comida e aos equipamentos de cozinha. No trabalho da minha mãe, na Polícia Judiciária, mundo predominantemente feminino, houve algumas "epidemias": o osso buco (de vez em quando faço osso buco à Milanesa mas nunca coloquei online a minha receita), as dietas com chás, as máquinas de iogurtes (a minha ainda trabalha) e os gelados de água feitos só com fruta, açúcar e água. Eu não sou fã dos gelados que habitualmente se vendem nos cafés e detesto aqueles com cores florescentes (por norma fujo de tudo o que apresenta cores berrantes pois imagino que numa noite escura toda eu vou brilhar!!! :-), que apresentam ingredientes como limão (porquê a cor verde??), coca-cola, etc. Mas há alguma coisa melhor do que gelados feitos de fruta?? Ai que me veio à memória o sorvete da Santini (no Chiado), de figo e ginga preta!!! Delicioso!!

A minha receita, como sempre, é saudável e fácil de fazer....

 

 

 Ingredientes

10 cerejas

10 morangos

1 iogurte grego açucarado

1 colher de sobremesa de açúcar ou outro adoçante natural

 

Colocar tudo no liquidificador. Despejar nas formas. Levar ao congelador por 4 horas.

publicado por Susana às 09:59

Descobri na loja Celeiro uns pacotes que me chamaram a atenção pela beleza - as pérolas de tapioca. Comprei sem fazer ideia do que poderia criar. Nesta minha constante demanda pelas novidades gastronómicas saudáveis, em cujo cerne está sempre a minha filha e a sua falta de apetite, resolvi apostar numa sobremesa brasileira - o Sagu. Originalmente é feito com vinho tinto mas quem tem crianças pode optar por sumo de uva, de preferência orgânico.

Como prefiro sempre utilizar a fruta da época a minha receita leva morangos e pêssegos. O resultado é este e foi totalmente aprovado pela E.

 

Ingredientes

10 morangos e 4 para enfeitar

1 iogurte grego açucarado

50 gramas de pérolas de tapioca

canela, q.b

açúcar de cana (ou outro adoçante natural), q.b.

água

 

Preparação

Cozer a tapioca num tacho com o dobro da água durante 20 minutos e um pau de canela. Mexer constantemente para não pegar. Entretanto colocar os 10 morangos, pêssego no liquidificador e o açúcar. Não necessita levar água. Depois de cozida colocar a tapioca num recipiente e deixar arrefecer. Quando estiver morna juntar o puré de morangos e pêssegos e misturar bem. Juntar o iogurte. Para enfeitar colocar uns morangos, canela em pó e polvilhar com algum açúcar. Levar ao frigorifico durante algumas horas.


18
Fev 13

Quem é que não gosta de comer vegetais e fruta que sabem a alguma coisa? todos nós gostamos de comida biológica mas nem sempre o preço o permite. Quem é que não gosta de ver plantas a crescer, a mudar e a desenvolver? quem tem crianças sabe como é importante eles comerem bem ou como é fundamental para o seu desenvolvimento o contacto com a natureza. Felizmente a E. tem sorte pois o seu infantário não só possui um grande quintal, com árvores, flores e até um cantinho hortícola onde eles cuidam das hortaliças, das alfaces, etc. A E. sabe que tudo o que comemos não nasce nos supermercados. Felizmente a E. também tem uns avós que têm espaço e terreno e de lá vêm as nossas laranjas, phisalis, morangos, uvas morangueiras, etc.

Para quem mora em Lisboa e não tem quintal parece difícil ter uma pequena horta. Talvez não seja impossível. Tenho vizinhos que nas suas varandas têm ervas aromáticas e até, imagine-se batatas. Com vontade e com sol é possível. A nossa varanda é mesmo muito pequena (1,50 x 48) mas eu estou decidida a cultivar alfaces, morangos (ai que saudades das cenouras do avô Pinto que eu arrancava da terra e comia logo), tomates. No outro dia comprei um molho de cenouras bio na Guerra Junqueiro, com rama, que eram deliciosas).

Com a ajuda da minha mãe coloquei 3 alfaces num canteiro (chamem-me esquisita mas não consigo comer alfaces que não sejam bio. Sabem-me mal. E a E. adora alfaces). No fundo coloquei brita (para que as raízes não apodreçam), 1 camada de húmus (os meus pais têm um compostor) e outra de terra. As alfaces comprei-as na Edite Cavel e os morangueiros no Horto do Campo Grande (é tudo mais caro)....na Rua da Palma e no Rossio também se pode arranjar.

 

Coloquei uns protectores e sacos de plástico cozidos à rede vermelha (comprei na Polux para fazer a máscara de carnaval da E.). A ideia é proteger os pequenos legumes da chuva (e se chovia!!!!) e dos pombos

 

 

A E. fica responsável pela sua rega.

 

 

Agora vamos esperar que sol surja e que cresçam!!! {#emotions_dlg.sol}

Vou dando notícias.

publicado por Susana às 10:51

Junho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


facebook
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

19 seguidores

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO